terça-feira, 5 de abril de 2011

02 e 03/04/2011 - Regata POA-Pelotas: A Volta Dos Que Não Foram

Por-do-sol na Lagoa dos Patos (foto do Ned)

A volta dos que não foram!!


Boa diversão e um teste de paciência na re-edição da tradicional regata Porto Alegre-Pelotas, que já foi bem importante no calendário náutico do estado. Dois dias antes da regata tivemos a dissidência do Ferrugem, com o ombro machucadinho, e saímos a cata de um substituto a altura do nosso amigo Cor-de-Laranja. Terminamos convidando dois novatos de Lagos dos Patos, o Edson Thomé (vulgo Ned) e o meu primo Gabriel Gomes, que prontamente toparam a parada. Além dos dois e deste comandante, a tripulação foi completa com o Guga Ximitão, Capucha e Barba Ruiva, velhos parceiros do Friday Night. Tudo pronto para a largada às 9hs de sábado, com horário limite para a chegada às 16hs de domingo, na entrada do Canal da Feitoria. São 120 milhas de regata e mais umas 30 a motor pela Feitoria e Rio São Gonçado, até a chegada ao Veleiros Saldanha da Gama, em Pelotas.


Largada atrasada e recuperação


Parece incrível mas bobeamos na sinalização da largada e terminamos saindo atrasados, com um vento sul de 10K que logo foi ficando mais fraco. Apenas 9 da manhã e já começamos correndo atrás do prejuízo.


Preparativos para a largada, dos atrasadinhos (foto do Ned)


A velejada no Guaiba foi de contravento bem fraco, muitas vezes com o pessoal sentado à barlavento, uma condição bem ruim para o nosso barco, cuja maior vela de proa é uma genoa 2.

O Kamikaze (Skipper 30') e o Boa Vida (Wind 43') dispararam na frente, seguidos pelos nossos adversários do Shogum (Fast 395) e Tanictis (Delta 36'), dentre outros. Fomos fazendo uma regata de recuperação contra alguns barcos menores, ,as com muita dificuldade pela condição inadequada de vento e vela.


Muito esforço do Gabriel no trecho do Guaiba (foto do Ned)


O Italiano também não precisou se puxar muito na velejada, mas mostrou muita categoria na cozinha, o que foi fundamental para o ânimo da galera.


O nosso mestre-cuca de bordo (foto do Ned)


Velejamos assim devagar até Itapuã, entrando na Lagos dos Patos somente perto das 16hs, com um vento bem fraco e bem de proa, com o rumo para SE, uns 30° desviado do nosso objetivo do fatolete do de São Simão.


Pequena gambiarra na costura da genoa, na entrada de Itapuã (foto do Ned)



Farol de Itapuã, limite do Guaiba com a Lagoa dos Patos (foto do Ned)


Velejamos assim até as 18hs, quando o vento rondou para SE e entrou mais forte, entre 13-15K e com rajadas até de 18K, o que propiciou uma boa velejada de orça folgada. Isso durou até perto da meia-noite, quando o vento voltou a virar para S e a diminuir.


O Barba Ruiva na orça na Lagoa (foto do Ned)


(foto do Ned)


Por-do-sol em algum lugar da Lagoa, com o Saco de Tapes do fundo (foto do Ned)


(Foto do Gabriel)


A noite foi super estrelada e de temperatura agradável. Organizamos os turnos em 3h de convés X 3h de descando para cada um, intercalados, quando descobrimos que os dois novatos não tinham nenhuma dificuldade de dormir a bordo... bons e cama mesmo!!


A galera do convés concentrada na navegada noturna


Na madrugada o vento foi ficando mais e mais fraco, estávamos nos arrastando às 6 da matina quando tomamos a decisão de desistir da regata. Estávamos entre os faroletes dos bancos de Dona Maria e do Vitoriano, a 40 milhas da chegada e mais 25 de motor até o clube em Pelotas.


Nessa condição, a 65mn do destino e previsão de nenhum vento durante o dia, desistimos da ida a Pelotas e resolvemos dar meia-volta e retornar a Porto Alegre, distante 80mn ao norte. A motor, era andar 10h para a frente ou 13h para trás, terminei escolhendo a segunda opção pois isso também evitaria um retorno de ônibus e a necessidade de voltar na semana seguinte para buscar o barco.


Com nenhum vento e a lagoa absolutamente espelhada, começamos o nosso longo retorno, aproveitando para dar um rasante no Farol do Cristóvão Pereira, um dos mais antigos faróis da região, edificado entre 1858 e 1886. Como ele fica bem no meio da Lagoa dos Patos, normalmente se cruza por ele à noite, por isso aproveitamos para fazer a visita e tirar umas fotos, que aparecem abaixo.


O registro em video pelo Comandante:
video



O velho Cristovão com reflexo na lagoa espelhada (foto do Gabriel)

Por entre a rede da borda do Friday Night (foto do Ned)


O sol pegou forte e abrimos o bimini na longa motorada de volta (foto do Ned)

De novo o farol de Itapuã, agora visto da chegada pela lagoa (foto do Ned)


Haja sombra!


Alguém aí escolhe uma vogal?? (foto do Gabriel)



O final de domingo nos brindou com mais um por-do-sol clássico do Guaiba, registrado na sequência abaixo pelo Ned. Chegamos no Veleiros às 19hs.




Em que pese a falta de vento e a longa motorada de volta (nosso japonesinho da Yanmar se comportou super bem!), valeu muito pelo divertimento e pela parceria.


Faremos outras!!



Abaixo o registro do nosso track da descida, pelo MapSource da Garmin:



O comandante agradece aos dois novatos, que além de "bons de cama" se mostraram grandes fotógrafos.

O Ned e o Gabriel com suas possantes (quase que aposentei minha "Xereta")