quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

22/12/2010 - Velejada Noturna Pré-Natalina



Nossa última velejada noturna do ano foi no modelo não-competitivo, uma clássica Wet Wednesday do mesmo jeito que quando tudo começou. Já vão uns 5 anos desde que um grupo de amigos decidiu simplesmente se reunir para velejar à noite no horário de verão, muito antes da idéia das regatas noturnas.

Curiosamente os participantes dessa vez foram justamente os que iniciaram esse negócio lá atrás, além deste modesto escriba os comandantes Wally, do Noctiluca e o Capucha, do Set Me Free, além do nosso dublê de cozinheiro e cinegrafista, Cassio Ostermayer.


O Wally - Jacaré - foi um dos que começou as nossas WWs lá atrás

O Tio Cacá sempre que pode nos brinda com seus vários talentos

Numa 4a-feira qualquer, a las tantas...
video
... e eles resolvendo os problemas do Brasil
video
Video girando a imagem pela direita
video
Velejamos com um leste médio de 10-15k até a entrada do Canal da Maria Conga no Jacuí, onde ancoramos para um aperitivo com uns "aishpidiskes" preparados pelo Jacaré.
Nessa hora a turma fica resolvendo todos os problemas do Brasil, alguns do mundo, divagando sobre causos antigos e sempre dando boas risadas. Deu até para ligar para os amigos ausentes da noite, como o Barba Ruiva (de alvará curtíssimo) e o Stephen, lá de Floripa e que sempre tem algumas muito boas para contar.
Alguns segundos de por-do-sol
video

Teve até tempo para uns devaneios fotográficos, claro que
dentro das limitações da nossa modesta Sony Cyber-shot

Quase que deu para pegar a lua, mas faltou uma base firme para o obturador aberto por 10s

Retornamos perto da meia-noite com o mesmo leste mais fraquinho. O risco de malária ("malas na área") até que vale a pena...

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

12/12/2010 - Baita Pega no Aniversário do VDS

Foto: Divulgação VDS

Tivemos a regata de aniversário do Veleiros, com o já tradicional percurso "carrosel" defronte ao clube, com duas voltas passando por uma bóia inflável em frente ao Sava Clube, outra em frente ao Veleiros, mais uma junto ao Barra Shopping e o farolete 142 do beira-Rio. Ufa...


Fomos com este comandante e os marujos Ferrugem, Barba Ruiva e o amigo Firmino, comandante do Skipper 30' Relax. O quinto homem seria o Magrão Goi, que deu "no show" em função das estrepulias da noite passada, quando atropelou - de lancha - o pier de cimento do Estaleiro Só. A noite é perigosa mesmo, tanto trapiche maluco solto por aí...


O Firmino bem concentrado na trimada do balão



Bom vento e pedras no caminho
O vento foi médio de 15-20k da estranha direção N-NW e o fita azul foi mais uma vez o Madrugada, de ponta a ponta. Nossa regata foi disputando as posições com o Vento e Alma (ILC 32') do Comandante e Dr. Ortega e o Aquavit (Frers 36') do Leo Penter.


O Vento e Alma andava na frente quando deu azar e bateu em uma pedra após a montagem da bóia inflável defronte ao Sava, inclusive machucando o Comandante e o magro Boris e desistindo da regata em função disso. Já o Aquavit nos passou quando esticou um bordo por dentro das poitas do salão náutico, em um lugar bem raso onde eu não quis enfiar o Friday Night.


O velho Madrugada faturando mais uma (foto: divulgação VDS)



Recuperação e pega no final
Depois disso nossa regata foi de recuparação, culminando em um pega muito legal com o Aquavit na última perna de balão, do farolete no Beira-Rio até a chegada defronte ao clube.


Saímos do farolete um pouco atrás mas conseguimos armar o balão mais rápido, chegamos a tentar orçá-los mas o Comandande Leo não foi bobo e fechou a porta. Tentei sair arribando e chegamos a andar toda a perna lado a lado, apenas que nós a sotavento.


Na chegada eles vieram soltando o barco e terminaram nos ganhando por apenas 5 segundos, em uma chegada emocionante. O Ricardo Pedebos estava na comissão de regatas e conseguiu pegar essas belas fotos que postamos aqui, dos 2 barcos lado a lado de balão.


Sequência de fotos do pega pela lente do Ricardo Pedebos (divulgação VDS)




Agora a mesma sequência, só que tirada de terra pelo Guili Roth, a bordo de sua nova e poderosa Canon.




No fim da regata ainda voltamos para experimentar como havia ficado o "remake" do nosso gennaker depois do estrago da última semana. Aparentemente o Tolaso fez um bom trabalho ao juntar as duas metades de cima e de baixo, sem nenhuma mudança no shape que eu tenha notado.

Bom trabalho do Tolaso, com a nova linha da costura bem disfarçada



Esta foi a última regata do ano, agora é aproveitar o barco nos passeios de verão e esperar pela próxima temporada. Ainda não vai ser nesse ano que vou levar o barco para Floripa.

Aqui uma pequena tomada feita a bordo, na descida de balão...
video

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

05/12/2010 - Trapalhadas e Prejuízo no Aniversário do Janga


Tudo errado nessa regata bem atrapalhada do aniversário do Jangadeiros, em que fomos com este comandante, Magrão Goi, Jorge, Edu Falcetta e o Eduardo Ribas. Muitos comandantes, o que não quer dizer muita coisa...

A primeira burrada foi minha mesmo, esqueci de desligar o motor na largada e nos demos conta disso somente uns 30 segundos após o tiro. A partir daí a coisa virou (ou deveria ter virado!) brincadeira, pois já estávamos automaticamente desclassificados. Não que isso tenha feito qualquer diferença com aquele vento sul de 20 nós do Janga até a Piava, mas regra é regra (os antigos dizem que a vela gaúcha já viveu isso de ligar motor em regatas nas gerações passadas, tomara que seja apenas folclore).

Fizemos um contravento bem ruinzinho com a G3 Trinquetta, depois voltando para a G2 e a mestra no 1º rizo. Na perna que supostamente iria do farolete 119 do canal até uma bóia inflável no Morro da Serraria (assim que estava no edital) todos ficaram procurando a tal bóia sem sucesso. Ao chamar pelo rádio, o líder Madrugada ouviu que a bóia não estava na Serraria, mas sim no Morro do Sabiá, distante umas 2 milhas para o norte.

Isso esculhambou todas as colocações, pois a turma de trás notou o erro ainda no início da perna e terminou sendo beneficiada pela bobeira da Comissão de Regatas do Janga (parece até que esse pessoal está apenas começando...).

A última trapalhada foi minha e custou caro. Na descida de gennaker forcei em manter a vela após o farolete 134, em um bordo mais apertado que aparentemente seria tranquilo. Terminamos não segurando o barco, dando uma atravessada e quebrando o pau de spinnaker. Com isso a testa do gennaker subiu e a escota de sotavento terminou se soltando na panejada. Demoramos muito para recolher a vela, que terminou se rasgando exatamente no meio e descendo em dois pedaços, unidos apenas pela moldura da testa.

Shit happens!!

sábado, 13 de novembro de 2010

27/10/2010 - Wet Wednesday Open Season 2010/2011

Foto: Divulgação VDS
Abertura da temporada 2010/2011 para as regatas noturnas no horário de verão
Nosso Open Season se deu em um dia espetacular, com bom vento leste de 10-15k e temperatura amena.

Tivemos 16 barcos participando, com largada às 19:30 defronte ao Veleiros e o já tradicional percurso até a Ponta do Gasômetro, com retorno contornando o par da Piava e chegada novamente no clube.

O Friday Night esteve a ponto de não ir em função de um compromisso de trabalho do comandante no mesmo dia, mas no fim tudo deu certo e consegui chegar uns 10 minutos antes da largada, com a ilustre tripulação já a bordo e com tudo pronto para zarpar.
A tripulação foi se mexendo enquanto o comandante trocava a roupa do trabalho
Pronto, cheguei!
Momento de decisão pré-largada: balão ou gennaker

video

Fomos com este comandante e o Ferrugem, Wally, Mikopoulus e o Tio Cacá, fazendo também de fotógrafo e cinegrafista de bordo (todas as fotos e videos são dele, com exceção da primeira bem acima, do Ricardo pedebos do VDS).
Aliás, sobre as habilidades cinematográficas do nosso tripulante, não percam o video da regata que ele postou no Youtube, basta entrar e chamar por 'Wet Wednesday Open Season 2010' ou olhar aqui mesmo, no próximo post.
Os líderes Madrugada e Maragato
O Aquariano e o Aquavit

Optei (assumo a decisão) pela largada de gennaker ao invés de balão por achar que o ângulo do vento estava muito apertado, mas no fim daria para ter levado de balão com o vento fraco e os 15m2 de diferença entre as velas terminaram fazendo a diferença.
O Wally 'Jacaré' ficou no trimmer do sotavento do gennaker

A regata durou cerca de 2 horas e terminamos em 3º, atrás do Madrugada e do Maragato, este um Frers 36' que andou muito com um balão enorme ao tope. Pelo menos chegamos na frente do Molokai, um Delta 36' "irmão" do Friday Night.
O retorno do Gasômetro foi de contravento, já no escuro

Como sempre valeu muito a parceria da turma, essas regatas noturnas são perfeitas para dar uma quebrada em uma semana pesada de trabalho.

Faremos outras...
Após a chegada o Jacaré nos brindou com acepipes a bordo





Ainda a discussão da tática...

video

27/10/2010 - Wet Wednesday Open Season 2010 (VIDEO DO CACÁ)

Autor da obra: Cassio Ostermayer

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

19 e 20/09/2010 - Pauleira e Calmaria em 20 Horas na Seival

O Troféu Seival teve neste ano uma categoria Bico-de-Proa para veleiros não-medidos, atendendo aos pedidos da turma dos barcos de cruzeiro. Foi a 40ª edição desta que é a mais tradicional regata da vela gaúcha, com um percurso de 90 milhas náuticas entre o Guaiba e a Lagoa dos Patos.
O "Monstro da Lagoa" assustou a turma
Aparentemente a turma dos cruzeiros se assustou com a previsão de ventos fortes ou com o temido "Monstro da Lagoa", ou ambos. No final tivemos pouquíssimos inscritos e entramos com o Friday Night para uma disputa que seria duríssima contra o veterano campeão Madrugada e o Catu, um Fast 395 do nosso amigo Marco Porto, vulgo Piu-Piu.
A tripulação concentrada na largada com vento fraco (foto: divulgação VDS)
Fomos com este comandante e os tripulantes Guili, Ferrugem, Barba Ruiva, Magrão Gói, Jorge e Guga, além de muitas picanhas e outros víveres a mais, que ninguém é de ferro. Como a duração de uma Seival é sempre imprevisível, sempre é bom estar preparado.
Mantendo a tradição de uma regata bem guasca, tivemos nesta mesma edição muita pauleira e também calmaria, primeiro um teste de resistência (nosso e do barco) e depois um teste de paciência.

A largada foi às 11:30 do domingo 19/09, na ponta do Gasômetro, com vento fraco e inconstante, muitas rondadas e buracos, o que durou até a altura da Ponta Grossa, quando o esperado leste/sudeste se apresentou, primeiro com média intensidade mas depois engrossando ao longo do dia.

Entramos na Lagos dos Patos às 17:40, já com o vento de leste puro pegando forte e a vela grande rizada, com rajadas de 30 nós, exatamente como antecipado pelos sites de previsão de vento (o http://www.windfinder.com/ é impressionante). O Madrugada desistiu em Itapuã, para evitar que uma pequena avaria se transformasse num prejuízo grande, enquanto que o Catu a essa altura estava bem atrás pois havia demorado para chegar no vento leste.
As 10 milhas até o farolete da Barba Negra foram percorridas em 1h08min, uma boa média para o través folgado, mas que já antecipava um chatíssimo contravento na perna até a ponta das Desertas, do outro lado da lagoa.
Orça sofrida
Para o trecho da orça colocamos o 2º rizo e a G3 trinqueta no estai intermediário, para deixar o barco mais macio na tradicional onda alta e curta da lagoa.
Olhem a carinha de faceiro do Guili no nosso contravento

Essa perna durou 4,5 horas e foi muito sofrida e chata, especialmente depois de escurecer. As rajadas batiam em 35 nós e ficava difícil de evitar as pancadas das ondas, que varriam a turma toda. Talvez para quem não conheça, a sensação mais próxima deve ser a de estar dentro de uma máquina de lavar roupas, em centrifugação.

Pelo menos a noite estava estrelada, com uma bela lua cheia e não muito fria, o que ao menos amenizava um pouco o desconforto. Nossos bordos foram bem arribados e terminamos sendo ultrapassados pelo Catu, que velejou melhor no contravento. A quilha deles de 2,30m parece ter feito a diferença.

Montamos a ponta das Desertas às 23:10, entrando em mais um través para a volta a Itapuã e ao Guaiba, já que a essa altura o vento já estava de E-NE. Em seguida da montagem da bóia ouvimos pelo rádio a desistência do Catu, que ia na nossa frente, por avaria no sistema de leme.

Entramos em Itapuã no início da madrugada e às 2hs passamos no cotovelo do Canal do Junco, quando entrei para dormir depois de timonear sem parar por 14,5 horas, apenas com alguns "pipi stops" pelo caminho. O barco estava um caos, muito molhado por dentro, após todas as lambadas e lavadas das ondas da lagoa.

Devo ter dormido umas 3 horas, apesar do ambiente não ser exatamente o Sheraton, só que nesse meio tempo o vento parou completamente e ficamos boiando contra a correnteza, sem nada que pudéssemos fazer a respeito. Amanhecemos na altura da Ponta Grossa, nos arrastando com uma merreca muito fraquinha. O consolo era ver que os barcos da outra classe, os regateiros da ORC, estavam logo ali na nossa frente, na mesma situação.

O amanhecer do 20 de setembro no Guaiba, ao fundo a ponta da Serraria

A chegada no farolete 134 foi às 7:53 da data Farroupilha, fechando uma das regatas mais "guasca" de que participei. Muito sofrimento e trabalho, nada mais apropriado para a data em que a gauchada comemora uma guerra que perdeu...

A brincadeira toda levou 20h23min, para mim a mais longa de várias Seival de que participei. O engraçado é que essa regata é sempre casca-grossa e sofrida, lá na pauleira da Lagoa dos Patos (que sempre tem!) a gente fica pensando "o que é que eu estou fazendo aqui". Só que depois termina e parece que o povo esquece tudo, então lá vai de novo no próximo ano.

A tripulação animada depois da noite mal dormida (ou não dormida) e 20h de regata


Terminamos ganhando na categoria Bico-de-Proa, em função da desistência do Madrugada e do Catu, que estavam na nossa frente quando sairam da regata. Em outra circunstância eu talvez até ficasse chateado de ser premiado por causa disso, mas depois até fiquei contente de ter chegado com a turma e o barco (o bolso agradece...) inteiros.



A sequência de videos mostra vários momentos das nossas 90 milhas em mais de 20 horas.

A balonada "light" após a largada ...
video

A passagem pelo Mandinga, já com o leste comendo...

video

A passagem no canal do Campista, em Itapuã...

video

A descida de través até a Barba-Negra (vai que é um Dodge!) ...

video

O por-do-sol na Lagoa dos Patos, no início do longo contravento...

video

Mais uma balonada, ao amanhecer no Guaiba...

video

A chegada, finalmente!

video

domingo, 8 de agosto de 2010

07/08/2010 - Tirando as Raízes na Regata Limpa Trapiche

Foto: Divulgação VDS

Ainda no longo e tenebroso inverno, tiramos as raízes do Friday Night para a tradicional regata Limpa Trapiche, comemorando os 54 anos do Grupo dos Cruzeiristas do VDS.

Mais uma vez a merreca marcou presença, no percurso "carrossel" montado defronte ao clube, com duas voltas entre os faroletes 140 do par da Piava, 142 defronte ao Beira-Rio e a bóia inflável defronte ao clube.

Fomos com este comandante e os tripulantes Guili (de papagaio-de-pirata), Jorge Zaduchliver, Edu Falcetta, Paulo Hennig e a dupla pai-e-filho do Magrão Goi e Cassio Canto.

Tivemos 17 barcos na raia, o ventinho fraco e nunca superior a 4 nós favoreceu os barcos pequenos e terminamos levando um chocolate de dois J24 e um outro 30'. Pelo menos fomos bem na regata particular com o D36 Molokai, do Newton Aerts, que quase nem vimos na raia. Consta que acabou a cerveja a bordo e os caras foram obrigados a desistir por "problemas hídricos" com a tripulação.

Bibo Pai...... e Bobi Filho

A galera sentadinha a sotavento, na concentração
A balonada foi fraquinha mas deu para tirar o mofo da vela (foto: divulgação VDS)

Entrega de prêmios com a tripulação e o "Mãe" do Grupo dos Cruzeiristas, comandante Henrique Ilha

Momentos contemplativos e discussões profundas na descida de balão
video
video

quinta-feira, 22 de abril de 2010

21/04/2010 - Calmaria no Velejaço Noturno/Diurno

Foto: Divulgação VDS
Nosso velejaço noturno de abril teve uma versão que a princípio seria diúrna, aproveitando o feriado do dia 21/04. Mais uma vez a merreca tomou conta da raia e terminamos entrando noite a dentro e até desistindo, pela falta total de qualquer mínima aragem, quanto mais algum vento.
Fomos com este comandante, o Ferrugem, o Cylon, o Paulinho Ribeiro, o Guga "Schimitão" e o comandante Sergio Neumann, do Congere, que chegou atrasado para ir na tripulação do Madrugada. Ele e o Guga chegaram super atrasados (já com sinal de 5 min. para a largada) alegando um engarrafamento por conta de um evento religioso no Gigantinho.
Os dois chegaram e entraram correndo quando já estávamos desamarrando do trapiche, o Serjão inicialmente para pegar uma carona até o Madrugada, mas não deu. Chegamos na raia defronte ao clube já com o barulho do tiro de largada e ele terminou indo conosco mesmo.

O ventinho permitiu balão na ida e até um pouco de gennaker na volta do Gasômetro para o Beira-Rio, até que o vento parou total e tivemos que desistir após mais de uma hora boiando.


Um que se meteu de pato a ganso e não fez feio foi o Guili, que foi de Soling e andou o tempo todo na cola do Madrugada, até desistir quando já estava escuro.

A cruzada com o Madrugada e o Guili na cola, de Soling
video

Cruzando com o Bucaneer na volta
video

Velejando de gennaker, antes do vento parar totalmente

video

segunda-feira, 19 de abril de 2010

17/04/2010 - Velejaço Chico Manoel

A clássica "merreca" de outono nos brindou mais uma vez neste velejaço para a Ilha Chico Manoel. Tivemos no máximo uns 8 nós de vento sul, mas na chegada parou total e cruzamos a linha praticamente parados, apenas caindo com a correnteza.

O Madrugada mais uma vez foi super bem no ventinho fraco e abriu boa distância. No nosso caso fez ainda diferença a falta de uma genoa 1, pois abaixo de 9 nós realmente falta potência para a nossa G2 de roller.

Fomos com este comandante, o Ferrugem, Wally, Capucha, Jorge e com o Tio Cacá, nosso grande filósofo. Nos videos abaixo estão os registros altamente técnicos da navegada. De fato a gente não ganha nada mas se diverte...

video

video

Tio Cacá e a tática da regata:

video


Na chegada na ilha brincamos que havíamos ganho na categoria dos octagenários, já que dois dos (poucos) barcos que conseguimos chegar na frente eram comandados por valorosos velejadores já na casa dos seus 80.

Tivemos uma janta festiva na ilha mesmo e retornamos mais tarde à noite, a motor e com o auxílio do radar.

A motorada final teve trilha sonora da "maluquete" Amy Winehouse no DVD a bordo.

terça-feira, 13 de abril de 2010

10/04/2010 - Navegadinha Boba


Navegadinha boba e despretenciosa, num domingão pós-churrasco, mas cruzamos com o Charlie Bravo com o Fofô Paulo e a Carla Aaron, que nos tirou essa boa sequência de fotos abaixo.

Fotos: Carla Aaron