sábado, 17 de dezembro de 2011

14/12/2011 - Temporal na Última Regata do Ano

A flotilha na largada (foto: divulgação VDS)

Fechamos com chave de ouro a nossa temporada de regatas de 2011, com o nosso Velejaço Noturno de dezembro, em uma tarde de calor e nuvens carregadas, prometendo temporal, o que terminou acontecendo.

Foto: divulgação VDS


Nossa tripulação foi formada pelo Capucha, Magrão Gói, Magrão Falcetta, André Wahrlich, Guga e este comandante.

A gurizada medonha do Friday Night!  (foto:divulgação VDS)

Largamos às 19:50 dessa quarta-feira, com um ventinho leste de 6-8K. Do outro lado do rio, relâmpagos e algumas formações bem carregadas a oeste, um prenúncio do que estaria por vir. Tivemos 19 barcos na raia, com destaque para o Madrugada (mais uma vez o fita-azul) e os nossos oponentes, Molokai e Aquavit, da turma dos 36'.

(foto:divulgação VDS)

Largamos mais por barlavento da raia rumo ao centro da cidade, apenas evitando algum buraco de vento junto à Ponta do Estaleiro. Montamos o farolete 142 já em segundo, atrás do Madrugada, quando o vento deu uma pequena aumentada para 10-12k e confirmamos o acerto da nossa decisão de fazer esta perna só de genoa. O Madrugada tentou colocar o gennaker mas não segurou o rumo com o ângulo do vento muito orçado, terminou arribando muito e perdendo algum tempo para retirar a vela mais à frente. Depois eles recuperaram, claro, seguindo na frente até o final.

O Madrugada faturou mais uma (foto:divulgação VDS)

A galera animada na nossa subida de través
video

No retorno do centro da cidade cruzamos com toda a flotilha ainda subindo, o charutão a oeste começou a se armar, com trovões e relâmpagos em profusão.

Voltando para casa, com o charuto se armando à esquerda...

...e a turma do andar de cima "arrastando os móveis"
video

Com o vento leste ficando mais fraco e a perspectiva de entrada do temporal de oeste, a comissão de regatas resolveu encurtar o percurso e dar a chegada no farolete 140, o par da Piava.

Esta última perna do farolete 142 no Beira-Rio até a chegada foi de gennaker com o pau de spinnaker a bombordo, aproveitando o ventinho leste que foi diminuindo até quase parar. Nossa chegada em 2º lugar já foi com as primeiras rajadas de oeste soprando, ainda fraquinhas. Assim que cruzamos a linha tratamos de baixar as velas e aduchar a mestra na retranca, rumando rapidamente para o clube a motor.

O temporal entrou forte bem na hora da nossa chegada ao Veleiros, a atracação do barco no box ficou complicada pelas rajadas de 30-35k de oeste-noroeste, mas pelo menos estávamos abrigados. Menos sorte sobrou para os que estavam mais atrás e pegaram a pauleira no meio do rio, alguns sofreram avarias e outros tiveram que se abrigar na baía do Veleiros antes de seguirem para seus clubes, mas felizmente ao que consta ninguém saiu machucado.

Belíssima navegada com algum estresse e emoção no final.

Que venha a temporada 2012!





domingo, 11 de dezembro de 2011

11/12/2011 - Regata de Recuperação no Aniversário do Veleiros

Foto: divulgação VDS

Fizemos boa uma regata de recuperação no velejaço de aniversário do VDS, após uma largada confusa e um tanto quanto lotérica.

Nossa tripulação foi composta por este comandante, o Ferrugem, o Barba-Ruiva, o André Wahrlich e os dois magrões, o Gói e o Edu Falcetta.

O percurso foi um "carrossel" entre o Veleiros, a bóia-cega 125 um pouco acima da Piava e o farolete 142 do Beira-Rio, com duas passagens em uma bóia inflável bem defronte ao clube.

Este percurso gera uma condição era de muitas rondadas com o S-SE do dia, com muitos buracos de vento nas proximidades do Veleiros, pela sombra do morro da Vila Assunção.

Nossa largada foi de balão por sotavento da flotilha e um vento bem fraquinho, no rumo da Piava e da bóia 125. Esta não se mostrou uma boa estratégia assim que saímos da sombra do morro, pois os barcos que estavam mais orçados pegaram o vento antes e dispararam na frente. Terminamos fazendo a primeira montagem na bóia 125 atrás do Madrugada, do Boa Vida (Wind 43'), do Aquavit (Frers 36'), do Molokai (Delta 36') e do Noa-Noa (Fast 303).

Foto: divulgação VDS

Foi nessa montagem que começou a nossa recuperação, primeiro ultrapassando o Molokai e o Noa-Noa. Na montagem da bóia inflável do Veleiros ainda fomos ultrapassados pelo Alforria (Fast 410) e novamente pelo Noa-Noa, que entraram mais por perto do morro e cruzaram na nossa proa com direito. Depois disso passamos de novo pelo Noa-Noa praticamente encostamos no Aquavit e no Alforria no contorno farolete 142.

Nossa montagem de bóia no encalço...

... e depois o bafo na nuca do Aquavit (fotos: divulgação VDS)

A descida do Beira-Rio até a bóia 125 foi palmo a palmo com o Alforria, após teremos passado o Aquavit logo no início da perna. Montamos a bóia na frente dos dois e a partir daí o desafio foi segurá-los, especialmente o Alforria com seus 5 pés a mais na perna de balão.

A montagem do Alforria ainda na frente do Friday Night (foto: divulgação VDS)

O Aquavit perdeu tempo na baixada de balão e ficou um pouco para trás, mas o Alforria seguiu na nossa cola e dando muito trabalho até o final, quando terminamos cruzando uns 10 segundos na frente deles.

Monitorando o Aquavit com o Alforria mais por sotavento

No final chegamos em terceiro, mas chegar atrás do Madrugada e do Boa Vida até que não tem grande novidade. Legal mesmo foi a recuperação e a ultrapassagem dos três da nossa turma, tudo isso com muitas manobras, põe balão, tira balão, a galera trabalhou forte e se divertiu.

Baita pega do Boa Vida com o Madrugada, que chegou na frente por 6 segundos (foto: divulgação VDS)


Tripula de fé, os dois Magrões, ...
 ... o Barba e o Wahrlich, pelo fotógrafo Ferrugem



Faremos muitos outros!

04/12/2011 - Emoções no Aniversário do Janga

Foto: site do Clube dos Jangadeiros (CDJ)

Boas emoções no velejaço de aniversário do Jangadeiros. Fomos com este comandante, o Wally Jacaré, Jorjão Zaduchliver, Magrão Falcetta e o Guga.

Foto: site CDJ



A largada foi com uma merrequinha de sul defronte ao Janga, largamos de balão e depois descemos o canal de navegação pelo pelo par da Piava até o farolete 134, para seguir de contravento até a bóia 119 e retornar.

Foto: site CDJ

Já no início da orça o vento sul mostrou sua cara e entrou mais forte, firme nos 15-16 nós e com rajadas de mais de 20. O nível do rio estava muito baixo após uma semana de vento leste e seca, o que representava um desafio adicional, de descermos de contravento cuidando bem as bordas do canal, especialmente do lado oeste.

Estávamos atrás do Tempest e disputando cambada a cambada com o Virtú, outro Delta 32 regateiro, quando ouvimos um estouro e nossa genoa despencou. Pensamos inicialmente em um estouro da adriça mas na verdade foi o punho da nossa G2 que arrebentou com a tensão, fim de jogo para a vela nessa regata. Cogitamos desistir mas rapidamente lançamos o nosso "Plano B": colocar o estai intermediário e a genoa 3 trinquetta, o que àquela altura não seria de todo mau, já que o vento a essa altura estava firme na casa dos 20 nós.

Perdemos um bom tempo nessa função de colocar o estai e trocar de vela, os barcos da frente dispararam mas o Jacaré coordenou a operação toda ainda a tempo de nos mantermos na frente do Aquavit na montagem da bóia 119.

A volta de popa-raso foi com emoção, optamos pelo gennaker ainda que o ângulo estivesse bem empopado, para minimizar o risco de penduladas com relação ao balão "grande", que mede uns 15m2 a mais. Ainda assim demos umas penduladas bem fortes, a pior delas quando estávamos margeando o canal de navegação pelo leste, com o alarme do eco apitando a 1,8m e nós dando umas arrastadas no lodo.

Ficamos assim por uns 2 minutos que pareceram uma eternidade, com todos a bordo já se preparando para uma travada ao encalharmos de "cano cheio" com o barco navegando a cerca de 8 nós. Felizmente conseguimos retornar ao canal sem dar jaibe e mantivemos a vantagem para o Aquavit, montando o farolete 134 e a Piava na frente deles e chegando na frente na classe Cruzeiro 40 (ainda que dois Delta 32' tenham chegado na nossa frente na geral).

Nossos parabéns às tripulações do Tempest e do Virtu, que velejaram muito bem.

Pendulando de gennaker na empopada..


...e nos aproximando da chegada em terceiro geral (fotos abaixo: site CDJ)




O Tempest faturou mais uma na geral...                                             


...e eu tive a companhia da Gabi na entrega de prêmios da Cruzeiro 40 (fotos: site CDJ)